Estratégia e Vantagens Competitivas

Foco em proporcionar ensino acadêmico de alta qualidade. O projeto acadêmico da Anima valoriza o desenvolvimento da autonomia dos estudantes, buscando uma formação ampla do profissional, do indivíduo e do cidadão, buscando garantir que os alunos tenham acesso a um ensino acadêmico de qualidade. De acordo com estudos da Hoper, 47,4% dos motivos analisados pelos alunos no processo de escolha da instituição de ensino superior estão relacionados à qualidade¹ das instituições, enquanto apenas 22% está relacionado à localização das instituições. Por meio de uma metodologia própria, o currículo da Anima traz uma abordagem modular e interdisciplinar, permitindo ao estudante conectar-se com as diferentes disciplinas de cada curso, agregando valor ao seu processo de aprendizado. Isto vai muito além da padronização de currículos, calcada na visão anacrônica, adotada por diversas instituições de ensino no Brasil, de simples repasse de conteúdo. Reconhecendo que, com o advento da tecnologia, o acesso a conteúdo está praticamente universalizado, o foco da Companhia está no desenvolvimento de competências perenes que permitam maior autonomia e uma atuação mais abrangente dos estudantes no exercício de suas profissões. A preparação dos professores reforça a capacidade da Anima em proporcionar um ensino superior de alta qualidade, na qual 75% dos professores da Companhia possuem titulação em mestrado ou doutorado. A qualidade do ensino acadêmico vem sendo comprovada por meio de uma série de indicadores internos e externos como, por exemplo: (i) resultados consistentes de satisfação dos estudantes da Anima, uma vez que mais de 67% deles avaliaram as instituições, em outubro e novembro de 2014, como muito boas ou excelentes, em pesquisas internas da Companhia; (ii) 78% dos cursos avaliados estão entre os três melhores oferecidos por organizações educacionais privadas de ensino superior em seus respectivos mercados, conforme nota do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do MEC; (iii) 100% dos cursos que receberam visita in loco do MEC de abril de 2014 a março de 2015 foram avaliados com Conceito de Curso (CC) igual ou superior a 3, sendo que 93% dos cursos das instituições de ensino da Companhia estão avaliados com nota 4 ou 5; (iv) a Anima conseguiu melhorar consistentemente o Índice Geral de Cursos (IGC) das instituições, que colocam a UNA como melhor Centro Universitário Privado do estado de Minas Gerais, e o UniBH como o segundo melhor Centro Universitário Privado de Belo Horizonte e acordo com o IGC do triênio 2011, 2012 e 2013, publicado pelo MEC. O reconhecimento dos alunos por proporcionarmos ensino superior de qualidade é a sustentabilidade do ticket médio da Companhia mais alto ao longo dos últimos anos.

¹ Foram considerados como motivos relacionados à qualidade os seguintes itens do estudo da Hoper: qualidade, reconhecimento de mercado, recomendação de amigos, tradição e reconhecimento da marca e resultados no Enade.

Modelo de negócios diferenciado que permite um posicionamento privilegiado para aproveitar o potencial de crescimento do setor de educação brasileiro. A Anima acredita ter um modelo de negócios diferenciado, proporcionando alto padrão de qualidade acadêmica que, aliado a uma forte cultura empresarial, leva a resultados positivos e sustentáveis ao longo do tempo. Além disso, existe uma demanda crescente (pelo MEC, pelo mercado de trabalho e também pelos estudantes) por qualidade no setor de educação no Brasil, colocando a Anima em uma posição diferenciada se comparados a outros grupos educacionais privados. Essa tendência vem sendo evidenciada pelo crescimento do volume de estudantes que utilizam financiamento estudantil (mais de um milhão em dezembro de 2013, em face de 75,9 mil estudantes no ano de 2010), inicialmente por meio de entidades privadas, mas que foi fortemente potencializada pela expansão do programa de financiamento estudantil do Governo Federal (FIES). Esses mecanismos de financiamento permitem que os estudantes passem a escolher a instituição e os cursos em que desejam ingressar, e não simplesmente os que estariam aptos a pagar. Consequentemente, é percebida uma tendência de migração de estudantes, em todo o país, para instituições com propostas de excelência acadêmica, responsabilidade social e empresarial, com marcas e reputação diferenciadas. Desta forma, a Anima acredita possuir uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes que operam no setor privado por estar pronta para acompanhar o crescimento do setor de educação superior, capturando, com isso, mais valor para os acionistas.

Portfólio de marcas com grande tradição e reputação. As marcas de educação no Brasil são essencialmente locais/regionais, salvo exceções normalmente restritas às instituições generalistas de massa ou de nicho, com atuação em uma ou poucas áreas de ensino. A Una, UniBH e Unimonte são marcas com tradição com mais de 40 anos de história nas regiões em que atuam. A Anima busca um posicionamento independente e único das marcas, respeitando o posicionamento estratégico e o compromisso com a qualidade de ensino, sem prejuízo de introduzir elementos modernos e inovadores, características essenciais da Companhia. Essa capacidade de criar identidades próprias permite, por exemplo, gerenciar duas instituições de ensino na mesma cidade (Una e UniBH), com posicionamentos de preço e portfólios de cursos similares, de forma bastante sinérgica, atraindo estudantes com diferentes perfis e ampliando a participação de mercado de ambas as instituições, simultaneamente. Desta forma, a marca Anima funciona como uma importante amálgama, principalmente para o mundo corporativo, fortalecendo o conceito de rede, absorvendo e transferindo credibilidade para as instituições de ensino. No início de 2013, foi agregado ao portfólio mais uma marca tradicional, a HSM, com mais de 25 anos de atuação na organização de eventos de gestão empresarial e forte presença no meio corporativo. Com uma atuação focada na área de educação em negócios e gestão, vemos na HSM o potencial de tornar-se uma marca referência nesse nicho de mercado, com alcance nacional. Isso não só potencializa a percepção de qualidade do portfólio e das marcas, como também permite à Companhia ganhar escala por meio de sinergias entre a rede. Acreditamos que a reputação e posicionamento no mercado contribuíram decisivamente para o sucesso das aquisições que a Companhia fez nos últimos anos, bem como para a integração das instituições adquiridas, e que serão fundamentais na estratégia de crescimento futuro. Com o setor de educação ainda bastante pulverizado e com várias marcas regionais fortes, a estratégia de preservação das marcas adquiridas potencializa os benefícios decorrentes da reputação regional destas marcas e do reconhecimento dos princípios e valores do modelo de negócios da Anima, uma vez integradas a rede.

Valorização de pessoas. O desenvolvimento da Anima está diretamente vinculado às pessoas com as quais a Companhia se relaciona, uma vez que o sucesso de uma instituição depende do desenvolvimento de uma cultura organizacional própria e autêntica, baseada em princípios e valores praticados no dia a dia. Dessa forma, o desenvolvimento dos colaboradores e professores é incentivado por meio de iniciativas específicas para cada um dos públicos. Em primeiro lugar, foi criado um programa permanente de capacitação chamado "Lideres Inspiradores Anima", que reúne 110 pessoas em cargos de liderança, tanto da área acadêmica quanto na área de gestão. A Anima oferece ainda os programas de capacitação para todos os coordenadores de cursos por meio do Programa de Capacitação de Gestores Acadêmicos (PDGA), ferramenta essencial para o desenvolvimento de futuros líderes, capazes de conciliar princípios acadêmicos com uma dinâmica empresarial, contemplando módulos ligados a pessoas, marketing, financeiro e acadêmico. Outro programa destinado às lideranças intermediárias é o Orquestra de Talentos, hoje com 160 participantes que tem como um dos desdobramentos espaço para elaboração de projetos voltados para melhoria de processos e práticas inovadores, incluindo premiação pelos melhores projetos. Prezando ainda pelo desenvolvimento dos colaboradores, o Programa Carreira Y, com 90 participantes, possibilita aos ocupantes de cargos de especialista um espaço com conteúdo e interação própria para esta carreira e também o espaço de geração de projetos e reconhecimento dos melhores apresentados. Finalmente, a Companhia valoriza o corpo docente por meio de ações que ampliam o seu sentimento de integração na instituição e a percepção de sua relevância no processo de aprendizado dos estudantes.

Forte perfil de rentabilidade com crescimento significativo. As operações da Companhia possuem grande rentabilidade e relevante retorno sobre o capital investido. Além disso, ao adquirir uma instituição, busca-se maximizar sinergias e eficiência operacionais e, consequentemente, traduzir essas ações em aumento da rentabilidade de suas operações. A proposta de valor diferenciada e a sólida reputação das marcas Anima nos permitem praticar mensalidades superiores à média de mercado, que se traduzem em um EBITDA por estudante também maior do que as demais companhias abertas do setor de educação, que têm foco no ensino padronizado, permitindo continuar com crescimento consistente e realizando investimentos em qualidade.

Administração experiente, focada em resultados e apoiada por um parceiro estratégico renomado. A Administração é composta por um time de gestão alinhado, com mais de 10 anos de trabalho em equipe e profundo conhecimento e experiência no setor de educação. A maioria dos executivos, incluindo os fundadores da Companhia, faz parte também do bloco de controle, reforçando o alinhamento de interesses entre os acionistas e o time de gestão. O time de gestão vem construindo um histórico de sucesso e de crescimento, tanto orgânico como por meio de aquisições. Destacam, ainda, a presença do Dr. Ozires Silva, fundador da Embraer, ex-presidente da Petrobras e ex-ministro da infraestrutura, como presidente do Conselho de Administração da Companhia e Reitor da Unimonte. Procura-se garantir o alinhamento dos interesses da Companhia com os de seus gestores e administradores por meio de uma estrutura de remuneração variável atrelada aos resultados alcançados.

As frentes de expansão e crescimento da Companhia se dividem em quatro pilares principais:

Crescimento orgânico. A Companhia pretende continuar crescendo a base de estudantes e a sua participação de mercado com base na reputação de suas marcas e, assim, incrementar os seus resultados financeiros, por meio de iniciativas que incluem:

  • Gestão do portfólio de cursos voltada à ampliação e renovação de sua oferta: A Companhia avalia constantemente as necessidades de profissionais no mercado de trabalho e desenvolve cursos com o objetivo de suprir essas demandas. O status de Centro Universitário e Universidade da Companhia lhe permite oferecer novos cursos e ampliação de vagas sem prévia autorização do MEC nos municípios onde suas instituições de ensino estão instaladas (exceto para os cursos de medicina, direito, psicologia e odontologia, por restrição legal e regulatória). Assim, a Companhia é capaz de reagir rapidamente às mudanças de comportamento na demanda por novos cursos e/ou novas vagas em novas unidades. Por exemplo, em resposta aos movimentos do mercado de trabalho, a Companhia implementou uma estratégia de ampliação de seu portfólio de vagas em cursos de engenharia, que em 2010 representavam cerca de 10% do total de suas matrículas, com 3.368 estudantes, distribuídos em dez cursos e, ao final do quarto trimestre de 2014 representaram aproximadamente 26% das matrículas e 18,7 mil estudantes em quatorze cursos;
  • Expansão multi campi: A experiência dos Administradores da Companhia indica que o fator conveniência nos grandes centros urbanos é uma importante variável no processo decisório do estudante que, por vezes, pode se ver impedido de cursar sua instituição de preferência devido a dificuldades de deslocamento. A Administração da Companhia acredita que, uma vez atendido o pré-requisito da localização o principal fator de escolha é a qualidade acadêmica. Nesse sentido, a Companhia segue trabalhando para ampliar ainda mais a sua área de cobertura nos municípios onde atua, por meio da abertura de novas unidades em uma estratégia multi campi. A equipe de expansão da Companhia avalia constantemente novas oportunidades para cobrir áreas que não são plenamente atendidas ou que têm forte potencial de expansão e desenvolvimento, com base em indicadores demográficos e socioeconômicos. Como exemplo, em fevereiro de 2012 a Companhia inaugurou um campus em uma nova região de Belo Horizonte, a Linha Verde, e que, já representava um dos principais campi da UNA em termos de volume de ingressantes, sendo que no fim de 2014 já contava com 2,0 mil alunos matriculados. Da mesma forma, também na região da Linha Verde, a Companhia inaugurou um novo campus do UniBH em agosto de 2013, que no fim de 2014 já contava com 2,3 mil alunos, fazendo bom uso da gestão do portfólio de marcas e cursos da Companhia para atender à demanda local;
  • Expansão de unidades no interior: A Administração da Companhia pretende promover a abertura de novas unidades em regiões localizadas fora das grandes capitais com demanda por ensino superior de qualidade. A partir da experiência na Una, a Administração da Companhia percebeu que, uma vez consolidadas em seu município base, as marcas da Companhia têm potencial e alcance para funcionarem como âncoras regionais. Comprovou-se essa estratégia com a instalação da unidade (greenfield) da Una em Contagem, em 2008, e mais recentemente, em fevereiro de 2013, por meio da aquisição de uma faculdade de pequeno porte em Betim, convertida para a marca Una. Em agosto de 2013, abril de 2014 e setembro de 2014 a Companhia protocolou 3 novos pedidos para abertura de Faculdades em municípios de Minas Gerais, onde acredita, a marca UNA tem grande força e reconhecimento entre jovens e entre a comunidade acadêmica local. Vale destacar que essa frente de expansão potencializa ainda mais os ganhos de escala e eficiência à operação, uma vez que, além da integração do Centro de Serviços Compartilhados da Companhia ("CSC") e da estrutura de gestão central, as unidades satélite oferecem potenciais ganhos de escala com a âncora regional, em especial na direção geral da unidade e nas estruturas de direção e coordenação acadêmica. Sempre que julgar viável a Companhia buscará replicar esta estratégia em outros estados à medida que realizar novas aquisições de marcas âncoras.

Criação de um programa diferenciado de Ensino a Distância. O segmento de Ensino a Distância apresenta grande potencial de mercado, principalmente em razão dos valores mais atraentes de mensalidade, do maior alcance geográfico (devido à redução na necessidade de deslocamento do estudante) e da alta taxa de crescimento histórico. De acordo com dados do Censo do Ensino Superior do MEC, o número de matrículas no ensino superior à distância privado no Brasil, entre 2002 e 2013, passou de 6,39 mil estudantes em 2002 para 1,11 milhões em 2013. Em julho de 2014 a Companhia obtive junto ao MEC o credenciamento do programa de ensino a distância, com nota máxima nas três dimensões avaliadas, quais sejam credenciamento institucional, autorização do curso e avaliação dos polos. A Companhia acredita que o Ensino a Distância poderá representar um importante componente da sua receita nos próximos anos, tendo em vista a tendência de crescimento do setor e o potencial de ganho decorrente da diluição de seus custos fixos, que poderão lhe proporcionar margens de retorno acima da média obtida nos cursos presenciais.

Aproveitamento de oportunidades de consolidação do setor. Parte da estratégia de crescimento da Companhia é fundamentada em fusões e aquisições junto a outras instituições de ensino. A Companhia busca identificar ativos capazes de agregar valor e competitividade ao Grupo e que, ao mesmo tempo, possam fazer uso da tecnologia curricular, dos processos centralizados e das estruturas corporativas da Companhia. Para isso, a Companhia tem um rigoroso processo de seleção para possíveis aquisições. A análise da Companhia considera duas grandes vertentes: (i) a atratividade do mercado e seu ambiente competitivo, avaliada por meio de análises qualitativas e quantitativas que comparam diversos aspectos sociais, demográficos e mercadológicos; e (ii) a atratividade da instituição, avaliada com base em critérios como sua força institucional, riscos e potencialidades em relação a: (a) marca, (b) equipe / capital humano, (c) gestão e potenciais sinergias, (d) aderência ao posicionamento, valores e princípios e cultura organizacional da Companhia e (e) performance financeira e operacional. O CSC da Companhia, ferramenta desenvolvida para lhe proporcionar uma plataforma administrativa, financeira e acadêmica integrada mais eficiente, capaz de catalisar as melhores práticas de cada uma das instituições da Companhia e o padrão de qualidade oferecido em todas as suas unidades, permite fazer com que a integração de novas instituições e unidades de negócio se torne mais ágil e eficaz, possibilitando a redução de custos incrementais e gerando relevantes ganhos de escala. A Companhia acredita que esses fatores lhe permita integrar aquisições de maneira rápida, eficiente e rentável. A Companhia acredita que a capitalização decorrente da Oferta, além de liquidez aportou flexibilidade no processo negocial, abrindo novas possibilidades. A equipe de expansão da Companhia avalia atualmente oportunidades em 42 cidades do Brasil, buscando instituições de alta aderência ao posicionamento de Educação de qualidade da Anima, capazes de fortalecer a sua posição competitiva e gerar valor a seus acionistas.

Já como reflexo disso, julho de 2014, a Anima concluiu a aquisição da Universidade São Judas Tadeu - USJT, em São Paulo. A USJT é um ótimo exemplo do perfil de instituições aderentes à estratégia e posicionamento da Anima, sendo uma das mais respeitadas Instituições de Ensino de São Paulo, reconhecida pelo seu alto rigor acadêmico e notável desempenho operacional refletido nos diversos indicadores do MEC, no alto grau de satisfação de seus alunos e funcionários, bem como em sua boa performance financeira e operacional. A USJT tem demonstrado um ótimo potencial de expansão e aproveitamento de sinergias, seja pela ampliação de campi na cidade de São Paulo e em outros municípios do Estado, seja pelo ganho de eficiência operacional.

Ampliação do mercado de atuação da Companhia mediante uso das verticais do conhecimento. As verticais do conhecimento são unidades de negócio com marcas reconhecidas nacionalmente por sua expertise em determinadas áreas do saber capazes de potencializar as operações locais por meio de uma chancela às marcas locais (co-branding) e desenvolvimento de novos produtos e serviços escalonáveis por meio da rede da Companhia. Mais que uma frente de expansão, a Companhia acredita que as verticais do conhecimento deverão representar um importante diferencial competitivo. Essa estratégia já tem sido implementada com relação à HSM. Essa nova unidade de negócios, adquirida em março de 2013, cumpre objetivos estratégicos múltiplos, uma vez que alavanca a atuação da Companhia no segmento de educação corporativa, ao mesmo tempo em que funciona como um vetor de gestão dentro da sua rede. A Companhia acredita que a HSM apresenta todas as condições (marca, know-how, conteúdo e produtos) de potencializar seu negócio e portfólio de produtos, ao oferecê-los localmente nos Centros Universitários da Companhia (como programas de Pós-Graduação e cursos livres oferecidos pela rede da Companhia). Além disso, os Centros Universitários da Companhia já começaram a incorporar novos elementos de diferenciação em seus cursos, contando com o know-how da HSM na área de gestão no desenvolvimento e atualização de seus projetos pedagógicos bem como agregando a seus cursos de graduação ou pós-graduação conteúdos educacionais diferenciados (como transmissão de grandes eventos, acesso aos conteúdos HSM, workshops e desenvolvimento de soft skills). As verticais do conhecimento têm potencial para o desenvolvimento de produtos com distribuição nos futuros canais virtuais, em especial nos polos de Ensino a Distância da Companhia. A HSM é o primeiro passo da Companhia nessa direção e a Companhia vê potencial de exploração de novas verticais em outras áreas do saber. Assim, por meio das verticais do conhecimento, a Companhia busca ao mesmo tempo rentabilizar e diferenciar os seus produtos, reforçando o seu portfólio de marcas em ambos os sentidos, tanto com a marca vertical reforçando a marca local, como a marca local ampliando a visibilidade e alcance da marca vertical.

Mapa do Site

Fechar Mapa

Fechar